Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Dirigentes de Instituições de Pesquisa do MCTIC reúnem-se no CBPF
Início do conteúdo da página
Notícias

Dirigentes de Instituições de Pesquisa do MCTIC reúnem-se no CBPF

Publicado: Segunda, 18 de Junho de 2018, 19h11

O Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) reuniu, nos dias 07 e 08 de junho, os gestores das Instituições de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) sediadas no Rio de Janeiro para integrarem o Workshop Política de Inovação das Unidades de Pesquisa e Organizações Sociais, promovido pela Diretoria de Gestão das Unidades de Pesquisa e Organizações Sociais (DPO/MCTIC).
 A abertura do Workshop foi feita pelo diretor do CBPF, Ronald Shellard, e contou com a presença do secretário-executivo do MCTIC, Elton Santa Fé Zacarias, e da coordenadora-geral de Unidades de Pesquisa e Organizações Sociais, Isabela Sbampato, articuladora do evento.

“O Novo Marco Legal da Ciência e Tecnologia e os Núcleos de inovação Tecnológica como elementos da Política de Inovação das Unidades de Pesquisa e Organizações Sociais” foi o tema do primeiro dia das discussões, iniciadas pelo diretor do Departamento de Políticas e Programas de Apoio e Inovação da Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTIC, Jorge Mário Campagnolo, e pelo assessor da Secretaria-Executiva do Ministério, Luiz Fernando Fauth. Falaram, ainda nesse dia, o coordenador jurídico de assuntos científicos da Consultoria Jurídica do MCTIC, Rafael Ramalho Dubeux; o pesquisador do INPE, Milton Freitas Chagas Júnior; e o coordenador do NIT-Rio, Marcelo Albuquerque.

O segundo dia do Workshop contou com a presença do secretário-executivo adjunto do MCTIC, Alfonso Orlandi Neto. Após a abertura, o diretor do Instituto Nacional de Tecnologia (INT), Fernando Rizzo, apresentou palestra sobre o Panorama de CT&I de alguns países e os desafios trazidos pela transformação digital. Em seguida, houve debate sobre a elaboração de uma proposta de plano de ação dos Institutos de Pesquisas vinculados ao MCTIC. A proposta visa elaborar um documento que mapeie, com base na Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI 2016-2019), os desafios científicos e tecnológicos capazes de serem assumidos pela estrutura dos Institutos, com seus recursos humanos e materiais.

O evento mobilizou também representantes dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs), incluindo o chefe da Divisão de Inovação Tecnológica (DINTE), Vicente Landim, que também representa o INT no NIT-Rio.

(Foto: CBPF)
 
Da esquerda para a direita: Andrea Rizzo (coordenadora de Programas, Projetos e Inovação do Centro de Tecnologia Mineral - Cetem); João de Oliveira Junior (coordenador geral do NIT Mantiqueira); Vicente Landim (chefe da Divisão de Inovação Tecnológica do INT); José Abdalla (Observatório Nacional); Marcelo Albuquerque (NIT-Rio); Ronald Shellard (diretor do CBPF); Fernando Rizzo (diretor do INT); Augusto Gadelha (diretor do Laboratório Nacional de Computação Científica - LNCC); e Mônica Ramalho (NIT-Rio). (Foto: CBPF)


CBPF inaugura maior grafite de ciência do mundo

Mural da Ciência. (Foto:CBPF)

O evento de inauguração do Mural aconteceu na parte da tarde do segundo dia, com uma breve apresentação sobre o Mural-Grafite da Ciência, com a presença do Secretário Executivo Adjunto do MCTIC, Alfonso Neto. Em seguida, houve um bate-papo sobre ciência e arte com cientistas, jornalistas e divulgadores científicos, mediados pelo diretor do CBPF, Ronald Shellard. Ao final do debate, os convidados foram até a parte externa do CBPF, para a inauguração do mural, quando foi ligada pela primeira vez a iluminação que destaca a obra.

O Mural-Grafite é uma forma de dar visibilidade à ciência e chamar a atenção dos jovens para a carreira científica”, relatou o idealizador e coordenador do projeto, Márcio Portes de Albuquerque, vice-diretor do CBPF. O projeto foi apoiado pela Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Computação Científica (FACC), pela Innovation Norway (agência do governo norueguês para Inovação e Empreendedorismo), pelo CNRS (Centro Nacional da Pesquisa Científica da França) e pelas empresas Angular Tecnologias e Hinaje Filmes. A leitura artística e a realização do grafite são da jovem artista plástica Gabi L. Tores, estudante do curso de Artes Visuais da UERJ.

Fim do conteúdo da página